13 Segredos que seu fisioterapeuta pode descobrir

Compartilhe


Um bom fisioterapeuta pode dizer muito sobre sua família, seu trabalho, seu estilo de vida e sua saúde – sem que você diga uma palavra.
Confira aqui 13 informações interessantes sobre o tratamento de fisioterapia.

1- As pessoas estão menos ativas atualmente devido à tecnologia e na melhoria do transporte – considerando outras gerações.
Empregos sedentários cresceram 83% desde 1950 e empregos fisicamente ativos representam menos de 20% de nossa força de trabalho.
Além disso, nossa média de trabalho semanal é mais longa – cerca de 47 horas trabalhando por semana – e toda esta sessão tem um preço.
Quando um fisioterapeuta encontra um paciente de dor nas costas, dor no pescoço e lesões por esforço repetitivo, sabe que você está sentado muito tempo no trabalho e não está fazendo pausas para relaxar.

2- Normalmente, a postura de um paciente e as restrições de tecido mole ou muscular podem revelar estresse ou fadiga, como de uma ressaca.
Além disso, quando existe um tratamento com frequência, o fisioterapeuta pode notar quaisquer outros sinais de perturbação em sua função diária.
Um bom profissional de fisioterapia consegue construir um nível de tranquilidade com os pacientes, que faça prevalecer um sentimento de confiança para se abrirem sobre qualquer coisa que possa estar impactando sua saúde física.

3- Apenas olhando para a forma do corpo do paciente e características hereditárias o seu fisioterapeuta pode dizer quais problemas de saúde podem estar em risco ou já estão sofrendo.
Por exemplo, estrias em suas unhas e pele rachada indicam que o paciente está deficiente em minerais essenciais, vitaminas e outros nutrientes.

4- Se você é um corredor competitivo ou recreativo, mas não se alonga, pode estar se predispondo a lesões.
Muitas pessoas se queixam de distensões crônicas ou lutam com dores no joelho.
Os desequilíbrios ao andar ou dores musculares que você quando está correndo indicam que é necessário equilibrar o seu programa de treino.

5- As pessoas acreditam que a dor é uma resposta simples a um estímulo e que um simples exercício ou remédio irá resolver o problema. No entanto, muitas vezes o caso é muito mais complexo e uma sessão de fisioterapia é necessária para que tenhamos  que entender o que provoca a dor.
É trabalho do fisioterapeuta descobrir as coisas estressantes sobre a vida de um paciente, seu trabalho, sua família, seu casamento e outros.
Também são encontrados pontos encorajadores para o paciente; para ajudar alguém a realmente entender e lidar com sua dor, precisamos ajudá-los a encontrar um equilíbrio entre várias coisas.

6- Dor nas costas não é apenas uma das razões mais comuns para faltar no trabalho.
Também pode afetar sua felicidade no quarto.
Certas posições sexuais podem aumentar a dor pélvica ou a região lombar, especialmente para as mulheres, levando-as a evitar sexo.

7- O corpo do do paciente dá pistas sobre o estado emocional.
O fisioterapeuta é bastante preciso ao saber quando está trabalhando com um paciente com ansiedade ou depressão. Exitem duas pistas, a primeira é se um paciente consegue relaxar o suficiente para permitir que eu mova seus membros com facilidade passivamente. Se eles não puderem, isso diz que há tensão excessiva em seu sistema. Segundo, pontos de gatilho, pequenos nós nos músculos.
Muitas vezes, pressionar um ponto de gatilho causará uma dor de referência em outro lugar.
Assim, quando alguém tem muitos pontos-gatilho em algumas áreas-chave, além de não permitir um movimento passivo suave de um membro, o fisioterapeuta pode suspeitar de um estressor emocional subjacente que crie tensão excessiva em seu sistema.

8- Os distúrbios do assoalho pélvico – uma rede de músculos, ligamentos e tecidos que funcionam como uma rede de sustentação para os órgãos da pelve: o útero, a vagina, a bexiga, a uretra e o reto. –  especialmente incontinência urinária, afetam até um 1/4 das mulheres.
Muitas pessoas não percebem que isso é algo que um médico de fisioterapia pode ajudar.
Aprender exercícios para fortalecer e treinar os músculos do assoalho pélvico pode reverter ou prevenir a incontinência urinária em homens e mulheres.
Problemas nestas áreas podem se manifestar como dor e fraqueza não apenas na área pélvica, mas também nas pernas e quadris.

9- Há muitos pacientes que são retraídos e solitários, e isso é evidente durante o tratamento.
Eles vão” exagerar” ou ter negatividade em torno do nível de dor (por exemplo, dizer que o nível de dor é 10 em 10, mesmo para o menor movimento), e pensar em coisas como copo meio vazio versus meio cheio.
Eles também tendem a ter uma postura retirada.

10 – Pessoas com histórico de trauma físico ou emocional são mais propensas a lutar com síndromes de dores crônicas.
Fisioterapeutas conseguem reconhecer a ligação entre o trauma e seus efeitos no corpo e ajudar a tratá-lo.

11- Cada pacientes possui um tratamento exclusivo baseado em sua primeira consulta.
O fisioterapeuta tem a função de entender o corpo do paciente como um todo, relacionando sintomas, estilo de vida e reclamações.

12 – Questões digestivas e desconforto são muito comuns, o fisioterapeuta poderá sentir áreas de tensão.
Se a barriga está apertada ou dolorida, ou se dói ao esticar, muitas vezes tem a ver com fezes ou gases.

13 – Observar o paciente sentado em uma cadeira pode dizer muito sobre o estado atual de seu corpo.
Se eles arredondarem a coluna em forma de ‘C’, deixando a cabeça e o pescoço pendurados para a frente e os ombros para a frente – como se faz quando eles se debruçam sobre o telefone durante horas por dia – isso significa que seus diafragmas superior e inferior estão comprometidos e são forçados a respirar com os músculos do pescoço.
A respiração do pescoço leva à ativação do sistema nervoso simpático.
Uma pessoa com esse tipo de postura libera níveis mais altos de cortisol, o hormônio do estresse, o que leva a um sono insuficiente, aumento do apetite e diminuição da capacidade de cura do corpo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *